Victor volta a se destacar pelo Atlético

Goleiro Victor é ídolo do Atlético-Mg (Foto: STRINGER Brazil / Reuters)

Goleiro Victor é ídolo do Atlético-Mg (Foto: STRINGER Brazil / Reuters)

Por Vinícius Miranda

O goleiro Victor é um dos maiores ídolos da torcida atleticana. Um dos maiores responsáveis por ajudar o clube a conquistar o maior título de sua longa história: a taça Libertadores da América, em 2013. Com defesas gigantes e alguns milagres quando tudo parecia perdido, como por exemplo no pênalti de Riascos, o arqueiro se consagrou e caiu nas graças da torcida. Nos últimos meses, porém, vinha sofrendo com alguns questionamentos da torcida sobre as suas atuações em alguns jogos.

Victor em má fase

Nos dois últimos anos, Victor sofreu com algumas lesões. Duas graves apenas em 2016. Essas contusões quando somadas com alguns jogos irregulares nos quais o goleiro falhou, fez a torcida perguntar se um dos grandes ídolos alvinegros, único que conseguiu se firmar na equipe como titular absoluto desde 2007, quando Diego Alves (atualmente no Valencia-ESP) era o camisa 1, ainda poderia atuar em seu melhor nível.

A volta por cima de Victor

Como todo grande atleta, Victor conseguiu dar a volta por cima no momento em que os questionamentos sobre sua capacidade mais cresciam. Na reta final deste campeonato brasileiro e, principalmente da Copa do Brasil, o goleiro vem sendo fundamental para que a equipe treinada por Marcelo Oliveira consiga se manter viva e lutando pelos títulos de ambos torneios.

Victor na Copa do Brasil

Victor é muito idolatrado pelos atleticanos graças às defesas de pênaltis realizadas na Libertadores de 2013. Foram três magníficas defesas contra Tijuana(MEX), Newell`s Old Boys(ARG) e Olímpia(PAR). Nessa volta por cima, as penalidades novamente trouxeram o destaque que todos esperavam para Victor.

No duelo contra o Juventude, válido pelas quartas-de-final da Copa do Brasil, o Atlético-MG ganhou o jogo de ida, disputado em Belo Horizonte, por 1×0. Na volta, logo no início da partida o Juventude abre o placar. Muita pressão gaúcha. Victor com grandes defesas no tempo normal garantiu o placar mínimo, levando o jogo a ser decidido nos pênaltis. Ali o goleiro brilhou novamente. Duas grandes defesas colocaram o Galo na semifinal da Copa do Brasil.

Na primeira partida das semis, contra o Internacional, fora de casa, mais uma vez Victor foi fundamental. Ótimas defesas ajudaram o time a vencer por 2×1. Agora, no jogo de volta, o Galo leva a vantagem de poder até perder por 1×0, que ainda assim se garante na grande final.

Trajetória de Victor no Atlético-MG

O goleiro é nascido em Jundiaí, interior de São Paulo. E foi ali que se destacou, conqusitando a Copa do Brasil pelo modesto Paulista de Jundiaí. Chegou ao Altético como grande esperança acabar com os problemas que a equipe tinha debaixo das traves. Desde que Diego Alves, ótima revelação atleticana, foi vendido para a Espanha, a equipe mineira precisou apostar em dez(isso mesmo!) goleiros para serem titulares da meta alvinegra. Nenhum deles chegou a convencer.

Alexandre Kalil, então, resolveu apostar alto para acabar com o sofrimento atleticano debaixo da meta. Em 2012, Victor foi contratado. Custou aos cofres do time três milhões de Euros mais 50% do passe do zagueiro Werley. Uma aposta bem alta na época para um goleiro de 29 anos. E que se mostrou mais do que acertada.

Em sua primeira temporada em BH, Victor participou da terceira defesa menos vazada, eajudou o Atlético a ser vice-campeão brasileiro.

Na segunda temporada em MInas, foi um dos grandes nomes na Libertadores, maior conquista da história do clube. Em 2014, mais uma grande vitória. A primeira Copa do Brasil atleticana(segunda de Victor) coroou de vez o atleta em um campeonato onde o Atlético virou jogos “impossíveis” contra Corinthians e Flamengo após perder os jogos de ida por 2×0 e sofrer o gol dentro de casa. Dois 4×1. O raio caiu duas vezes no mesmo lugar onde o “Eu acredito” surgiu. E Victor foi peça importantíssima. Derrotar seu maior rival, se impondo e impedindo a dobradinha do Cruzeiro foi a cereja do bolo.

Nesta nova fase, ajuda mais uma vez a colocar o Galo entre as melhores equipes do país. Já está entre as quatro melhores da Copa do Brasil e segue firme no Brasileiro. Contra o Flamengo, mais uma vez, salvou a equipe, principalmente em ótimo chute de Fernandinho. Mantém o Atlético no bolo dos times que seguem o Palmeiras, líder do campeonato. E deixa o Atleticano sonhando, quem sabe, com uma possível, apesar de difícil dobradinha da Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.

Comments