Retrospectiva 2016: Supremacia da Juve e sonho do Leicester na Europa

Por Rodolfo Lamas e Bruno Louzada

Pelos campeonatos nacionais na Europa, a Supremacia da Juve e sonho do Leicester chamaram a atenção. A equipe italiana venceu o título pela quinta vez consecutiva e na Inglaterra o modesto time azul superou gigantes. Nas outras principais ligas não houveram surpresas.

A supremacia “Bianconeri”

O início do Campeonato Italiano 2015/2016 dava indícios que essa temporada não seria tão tranquila para a Juventus como nas anteriores. Atual tetracampeã da competição naquela oportunidade, teve um começo bem abaixo de seus principais concorrentes, mas uma sequência de vitórias mostrou porque a “Vechia Senhora” está há tanto tempo no comando na Terra da Bota.

(Divulgação)

(Divulgação)

A Juventus começou essa edição do Calcio de uma maneira diferente. Sem Carlos Tévez que retornou para o Boca Juniors, Pirlo negociado com o New York City e Arturo Vidal vendido ao Bayern de Munique, o time de Turim buscava se ajustar novamente.

Não foi fácil de início. Pogba ainda não conseguia lidar com a responsabilidade de se tornar o protagonista da equipe. Mesmo titular há alguns anos, o francês deixou de ser uma peça importante no engrenagem “Bianconeri”, para ser o principal jogador. Além dele, Paulo Dybala e Mario Mandzukic foram contratados para repor as saídas dos jogadores

O clube demorou a engrenar, mas quando conseguiu não parou mais. Na décima primeira rodada a Juventus iniciou uma sequência que chegaria a 15 vitórias consecutivas. Em 25 rodadas foram 24 vitórias e apenas um empate por 0 a 0 com o Bologna. A Juve saiu da décima posição para o topo da tabela. É bem verdade que só alcançou esse lugar na rodada 25, mas depois de chegar lá não saiu mais e foi campeã, ou melhor, pentacampeã.

Essa foi a quarta vez no futebol italiano que uma equipe venceu o campeonato nacional cinco vezes de maneira consecutiva: além da própria Juventus de 1931 a 1935, o Torino (1943 a 1949 – o campeonato de 1944-45 não foi realizado por causa da Segunda Guerra Mundial) e a Inter de Milão (2006 a 2010) foram as outras. No total, o time alvinegro soma 32 troféus. Hegemonia absoluta na Bota, já que os rivais de Milão tem 18 taças cada.

Destaques

Entre gols e assistências o trio formado por Pogba, Dybala e Mandzukic participou de 74 gols. Destaque para o argentino, vice artilheiro da competição com 19 tentos anotados e o francês, dono de 13 assistências.

Soberania ainda maior!

A tendência é que a dominância da Juventus em território nacional cresça ainda mais nos próximos anos. Como se não bastasse a diferença financeira entre a Juve e seus rivais, o clube buscou atenuar ainda mais a questão técnica. Isso porque, os maiores rivais do time nos últimos anos tem sido Roma e Napoli, principalmente pelas atuações de Pjanic e Higuaín, pelos romanos e napolitanos, respectivamente.

Para repor a saída de Pogba para o Manchester United, o time “Bianconeri” foi aos rivais e contratou suas principais peças. A política predatória aumenta ainda mais as chances de títulos da Juventus nos próximos anos.

O conto de fadas do Leicester

Uma das grandes e mais impressionantes histórias do século no futebol. Na primeira parte da dificílima Premier League, a cada rodada surgia a pergunta: “até quando vai durar?”

 

(Reusters)

(Reusters)

A verdade é que se alguém, há um ano, viesse do futuro e dissesse que o pequeno Leicester seria campeão de um dos torneios mais disputados do mundo, quem acreditaria? Talvez nem mesmo Claudio Ranieri e seus comandados.

 

O italiano que, com mais de 25 anos de carreira, não tinha conquistado nenhum título do primeiro escalão. Mesmo com passagens por gigantes – Real Madrid, Inter, Juve, Chelsea – Ranieri só tinha alcançado títulos de Copas ou divisões inferiores. Entre os jogadores, apenas nomes pouco conhecidos ou que não brilharam em clubes grandes. As duas estrelas do time – Vardy e Marhez – com 29 e 25 anos, respectivamente, ainda não tinham feito nada especial no futebol.

 
Em 2010, Jamie Vardy disputava a 8ª divisão da Inglaterra, pelo Stocksbridge. Neste período, ainda conciliava o futebol com o trabalho em uma fábrica de fibras de carbono. Seis anos depois, foi convocado para a seleção e bateu o recorde de jogos seguidos marcando na Premier League: 11.

 
O Leicester tinha apenas a 17ª folha salarial mais cara entre os 20 participantes da Premier League: 48.2 milhões de libras em salários. O time era ainda o 12º com o maior valor de mercado: 95,25 milhões de libras. No quesito patrocínio, era apenas o 18º: 1 milhão de libras por ano.

campanha leicester
O conto de fadas que ninguém esperava, o sonho tão distante que virou realidade. Daquelas histórias que confirmam o futebol como algo muito além de um jogo. O ano que transformou vidas, que mudou uma cidade. A temporada que nunca será esquecida pelo Leicester City.

Campeões em 2016

OUTROS CAMPEOES

Comments