Quais são as propostas de cada candidato à Prefeitura de Juiz de Fora para o Esporte

O Guia reúne em um só lugar o que os candidatos à PJF prometem fazer pelo Esporte da cidade

Por Bruno Louzada, Rafael Campos e Rafael Sarchis

As eleições municipais estão chegando – ocorrem em 2 de outubro. Juiz de Fora conta com sete candidatos. Pensando nisso, resolvemos reunir as propostas de cada um deles relacionadas ao Esporte. A cidade tem um time na Série B, um disputa a Liga Nacional de Vôlei, e outro a Liga Nacional de Handebol. Além disso, ainda temos as corridas de rua, o skate, e uma grande diversidade de esportes.

Lembrando que não se trata apenas do alto rendimento. O esporte também é saúde e educação, e deve estar presente nas escolas. Vale ressaltar que aqui vamos apenas expor as propostas que cada candidato tem em seu plano de governo. Não haverá qualquer juízo de valor ou análise. Isso fica por sua conta.

Cada candidato coloca o Esporte de forma diferente – separadamente ou junto com outros temas, como Turismo ou Cultura. Por isso, separamos a parte relativa apenas ao Esporte. As propostas foram retiradas do Programa de governo dos candidatos, disponíveis no site do TSE.

Bruno Siqueira – PMDB (15) – Coligação “PRO FUTURO E AGORA”

“Cultura, Esporte e Lazer”

“- O estabelecimento de prioridades absolutamente centradas na cidade e suas reais necessidades e expectativas.

– A elaboração de um projeto centrado nas pessoas e nas comunidades, no estabelecimento e valorização de espaço e convivência, garantindo direitos fundamentais e respeitando diversidade, característica da contemporaneidade, e os perfis distintos das muitas comunidades que integram o município.

– Modificação dos processos administrativos internos buscando promover, facilitar e principalmente efetivar a real cooperação e integração entre os diversos setores da administração municipal.

– Centralidade e priorização das ações de caráter social e humano com convergência de esforços de todas as secretarias e setores da municipal para efetivação das ações traçadas.

– Entender que o estimulo e a valorização de práticas e ações ligadas à cultura, aos esportes e ao lazer representam também melhoria nos indicadores de saúde, educação, assistência social, pode estimular o turismo, favorecer a segurança e sem dúvida alguma, alavancar os índices de desenvolvimento humano, fatores fundamentais para uma cidade que pretende promover avanços na qualidade de vida de seus habitantes.

– Planejar ação integrada capaz de promover mudanças sociais e comportamentais em curto, médio e longo prazo. Que não pode e não devem ser descoladas da realidade.

– Há de se pensar nas pessoas, nos grupos, nas comunidades, o projeto não deverá ser rígido, mas guardar certas flexibilidade que permita que se adapte às diversas situações e universos diferenciados.

– O esporte, o lazer as artes e a cultura devem ser entendidos como direitos inalienáveis do cidadão e não dado como dádiva, benevolência do poder público.

– Há de ser um projeto que atenda à população como um todo, mas que privilegie com atenção e olhar especial a criança, o adolescente e o jovem.”

Laffayete Andrada – PSD (55) – Coligação “PRA MELHORAR JUIZ DE FORA”

“Cultura, Turismo e Esporte”

“Criar uma Agência Municipal de Turismo com o objetivo de fomentar o turismo em Juiz de Fora, de forma integrada com eventos culturais, de negócios e esportivos. Fomentar a prática esportiva de modalidades diversas, visando a saúde, a educação, o lazer e a segurança da população em todas as regiões da cidade. Maior autonomia, eficiência e eficácia na gestão do esporte de rendimento. Apoiar e desenvolver atletas e equipes de base e de alto rendimento. Incentivar e facilitar a realização de eventos culturais, de turismo e esportivos de pequeno, médio e grande porte em Juiz de Fora. Elaborar o calendário de eventos culturais e esportivos na cidade, possibilitando o planejamento e a organização desses eventos em curto, médio e longo prazo.”

Margarida Salomão – PT (13) – Coligação “VIVA JUIZ DE FORA”

“Esportes”

“O foco da política municipal de esportes repousa na fomentação da participação da população em programas esportivos, estes voltados para a inclusão social e a participação comunitária. Além disso, deve ter em vista a importância da recreação e do lazer como meios para a melhora da qualidade de vida de nossa população.

Sendo assim, o intuito é propagar uma cultura esportiva de preservação da saúde, conscientizando a população dos seus direitos de praticar esporte e da necessidade de movimentar-se por toda a vida. Evidentemente, deve-se reconhecer o papel da municipalidade no incentivo ao esporte de alto rendimento, acolhendo os atletas profissionais da cidade e equipes esportivas organizadas – ambos estes atores determinantes para a difusão do nome de Juiz de Fora pelo país. É papel do gestor público municipal contribuir para que estes possam continuar desempenhando suas atividades na cidade, seja por meio de ajuda direta (especialmente em infraestrutura), seja intercedendo junto ao setor privado por financiamento e auxílio.”

Maria Ângela – PSOL (50) – Coligação “FRENTE POPULAR SOCIALISTA”

O Programa da Frente Popular Socialista, com as propostas da candidata do PSOL, disponível no site do TSE, não possui nenhum item denominado “Esporte”. A única vez que a palavra aparece é no item “Saúde”, nº 13:
“Criação de centros de esporte e lazer articulados com os dispositivos locais de saúde para a promoção da saúde”.

Noraldino Júnior – PSC (20) – Coligação “JUIZ DE FORA MAIS HUMANA”

“Esporte, Lazer e Entretenimento”

“É direito fundamental de todo cidadão, o acesso à prática de esportes e desfrutar de momentos de lazer. A prefeitura, órgão público mais próximo da população, tem o dever de promover ações e irá realizá-las buscando o melhor aproveitamento dos espaços públicos no Município destinado à prática de esportes e lazer. Deve, portanto, desenvolver estratégias para que o alcance destas ações chegue em todas as regiões da cidade, apoiando efetivamente aos atletas e valorizando os espaços para a prática esportiva, oportunizando e incentivando a formação de novos talentos em diferentes áreas esportivas.”

Victória Mello – PSTU (16) – Partido Isolado

O Programa de governo do PSTU, disponível no site do TSE, não possui nenhum item denominado “Esporte”. A única vez que o assunto é citado é na parte de segurança:

“As prefeituras devem garantir iluminação, acesso a wi-fi, infraestrutura de áudio e vídeo para todas as praças e parques (priorizando os localizados nas periferias) e fomentar a realização permanente de atividades culturais, de esporte, lazer e formação inclusive noturnas, dando a estes espaços vida e fortalecendo experiências de socialização entre as pessoas”.

Wilson da Rezato – PSB (40) – Coligação “A MUDANÇA ESTÁ EM SUAS MÃOS”

O Programa de governo do candidato, disponível no site do TSE, não possui nenhum item denominado “Esporte”. O tema aparece em “Cultura e Lazer”:

“Apoiar as manifestações culturais legítimas das comunidades, de forma a valorizar essas iniciativas nos bairros, mantendo as tradições, vocações e identidades das comunidades.

Ofertar a maior quantidade possível de espaços de lazer e prática esportiva.

Tornar viável um projeto para o Carnaval. Outras sugestões e demandas estão sendo analisadas.”

Comments