Obrigado, Falcão!

Mesmo com a eliminação precoce do Brasil no Mundial de Futsal, só resta agradecimentos ao camisa 12

Por Rafael Sarchis

Foram cinco mundiais disputados, dois títulos, dois prêmios de melhor do torneio e maior artilheiro da história da competição com 48 gols. Em 2016, no torneio disputado na Colômbia, Falcão marcou 10 gols ao longo de quatro partidas. Foi autor de três dos quatro gols da seleção brasileira, na partida em que foi eliminada para o Irã.

A história e o legado deixado pelo camisa 12 do Brasil é algo enorme e dificilmente alguém irá chegar no patamar atingido por Falcão. Em seu início no futsal, foi muito comparado a Manoel Tobias, outro grande nome da modalidade. Agora com sua trajetória consolidada, essa comparação é impossível de ser feita.

Marcado pelo vasto repertório de dribles e a inesquecível lambreta, Falcão não é somente um jogador habilidoso. É um craque decisivo. Quantas vezes pudemos vê-lo entrando em jogos complicados, nos quais sua equipe estava com o resultado adverso e o camisa 12 resolveu a partida com seus gols. Muitas vezes, resolvendo com golaços. Porque ele é assim, habilidoso e decisivo.

Hoje, o Futsal é cada vez mais popular no Brasil, vemos vários ginásios lotados pela Liga Nacional. Falcão tem um grande percentual nessa popularização do esporte, levando ainda mais pessoas para prestigiarem seu talento. Seja para admirar ou apenas xingar o atleta.

Com toda essa história construída, resta apenas agradecer ao melhor jogador da história do Futsal. Muito obrigado por fazer com que o público passasse a ver a prática como o esporte sensacional, que é. Muito Obrigado pelos gols inesquecíveis. Muito obrigado pelas alegrias nos títulos de 2008 e 2012. Muito obrigado, Alessandro Rosa Vieira. Muito obrigado, Falcão!

Comments