O time gringo do São Paulo

Último gol do tricolor paulista marcado por um brasileiro aconteceu há 44 dias. Legado de treinadores estrangeiros ressalta esse feito

Por Rafael Campos

Dia 10 de julho, Alan Kardec marcou seu último gol jogando pelo São Paulo, na vitória por 3 a 0 sobre o América-MG. De lá pra cá nenhum brasileiro balançou as redes pela equipe do Morumbi. Foram sete bolas nos gols adversários vindas de dois jogadores: o peruano Cueva e o argentino Andrés Chavez, em sete partidas disputadas.
A última partida do tricolor foi no empate por 1 a 1 com o Internacional, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. No Beira Rio, quem balançou as redes pelo São Paulo foi Cueva. Na equipe titular de Ricardo Gomes entraram quatro estrangeiros: os argentinos Buffarini e Andrés Chavez, o chileno Mena e o autor do gol, que é peruano.

Desde a 15ª rodada, a equipe do Morumbi é toda estrangeira. Foram sete partidas com três empates, três derrotas e uma vitória. Em apenas dois desses jogos, os gringos tricolores não marcaram nenhum gol. Confira a lista detalhada dos últimos confrontos da equipe, no qual balançaram as redes jogadores nascidos fora do Brasil:

 

SP

Treinadores gringos no São Paulo

Os dois últimos comandantes do tricolor eram estrangeiros. Quando o colombiano Juan Carlos Osório chegou ao São Paulo, em maio de 2015, o brasileiro Milton Cruz era o técnico interino da equipe, ocupando o cargo deixado por Muricy Ramalho. Com a saída do treinador da Colômbia, Milton Cruz voltou a ocupar a vaga interinamente. Para a temporada de 2016 a diretoria trouxe mais um nome de fora. O argentino Edgardo Bauza assumiu o time, que foi até a semifinal da Libertadores, antes da chegada de Ricardo Gomes.

Curiosamente, os dois estrangeiros deixaram o comando da equipe pelo mesmo motivo: assumir uma seleção. Osório foi contratado para ser o técnico do México e, mais recentemente, Bauza foi o nome escolhido para a Argentina.

“Toca no Calleri que é gol”

No primeiro semestre do São Paulo, precisamente na campanha da Libertadores da América, o nome mais importante da equipe era do argentino Jonathan Calleri. O atacante foi fundamental para que a equipe pudesse chegar até a semifinal do torneio continental e ainda foi o goleador da competição. De quebra, ajudou o time do Morumbi a se tornar o clube que mais vezes teve o artilheiro da Libertadores em seu elenco, com a trajetória de 2016 sendo a sétima vez.

O São Paulo entra em campo nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília) contra o Juventude, no Morumbi. O duelo é válido pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

SÃO PAULO X JUVENTUDE

O São Paulo entra em campo nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília) contra o Juventude, no Morumbi. O duelo é válido pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo
Data e horário: quarta-feira, 21h45 (de Brasília)
Arbitragem: Wilton Pereira Sampaio (GO), auxiliado por Fabrício Vilarinho (GO) e Fabiano da Silva Ramires (ES)

SÃO PAULO: Denis; Julio Buffarini, Maicon, Lyanco e Eugenio Mena; Thiago Mendes, Hudson, Kelvin, Christian Cueva e Michel Bastos; Andres Chavez. Técnico: Ricardo Gomes

JUVENTUDE: Elias; Neguete, Anderson Marques, Ruan Renato (Klaus) e Pará; Wanderson, Vacaria, Wallacer e Felipe Lima; Hugo e Roberson. Técnico: Antônio Carlos Zago

Comments