• Home »
  • Brasil »
  • Muita história: Santos e Vasco tem de inauguração de São Januário a milésimo de Pelé; confira

Muita história: Santos e Vasco tem de inauguração de São Januário a milésimo de Pelé; confira

Equipes se enfrentam hoje valendo vaga nas quartas de final da Copa do Brasil

Por Bruno Louzada

 

Santos e Vasco entram em campo hoje pela Copa do Brasil em momentos distintos. O Vasco, na série B, não vive uma boa fase, mas joga em casa. O Santos, no G4 da Série A, vem de três vitórias, mas não tem seu artilheiro, Ricardo Oliveira. Mas o confronto entre os dois também tem muita história – já decidiu título e viu alguns dos maiores do futebol brasileiro. E tudo começou há quase 90 anos, no mesmo palco de hoje, em sua inauguração.

Estreia na Colina

O Estádio de São Januário foi inaugurado em 21 de abril de 1927, num amistoso entre Vasco e Santos. A vitória por 5 a 3 rendeu um troféu ao time paulista, mas o orgulho ficou para todos os cruzmaltinos, que até hoje exaltam a construção “com as próprias mãos”. Este foi também o primeiro jogo entre as duas equipes. Só o começo de uma rica história.

Combinado

Em 1957, os dois times se uniram para uma série de amistosos. Com Pelé, ainda aos 17 anos, com a camisa cruzmaltina, o time ficou invicto. Venceu Belenenses e empatou com Dínamo Zagreb, Flamengo e São Paulo.

Reencontro com o Rei

Foram muitas as vezes que Pelé enfrentou o Vasco, inclusive com direito a título. Mas o duelo pela Taça de Prata de 1969 ficou marcado na história. O Santos venceu o jogo de virada por 2 a 1. O time carioca abriu o placar com Benetti e o alvinegro paulista empatou com um gol contra do zagueiro Renê, do Vasco. Aos 33 minutos do segundo tempo, pênalti marcado para o Santos. Pelé contra Andrada. O resto, a história conta com “Salvem as crianças” e “Mil gols…só o Pelé”.

Duelos em finais

Foram dois: a Taça Brasil de 1965 e o Rio-São Paulo de 1999. Uma vitória pra cada lado. Em 65, o Santos de Pelé chegou ao quinto título nacional em cima do cruzmaltino, com triunfos no Pacaembu e no Maracanã. Na ida, 5 a 1, dois do Rei. Ele voltou a marcar no segundo jogo, na vitória por 1 a 0.

08/12/1965 – Vasco 0x1 Santos
Gol: Pelé aos 22min do segundo tempo.
Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro.
Público: 38.788
Santos: Gilmar; Carlos Alberto, Mauro, Orlando e Geraldino; Lima e Mengálvio;
Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe (Abel). Técnico: Lula
Vasco: Gainete; Joel, Caxias, Ananias e Oldair; Maranhão e Danilo; Mário, Nivaldo (Luizinho), Célio e Zezinho. Técnico: Zezé Moreira

Em 1999, veio a redenção dos cariocas. Vitórias por 3 a 1 no Maraca e 2 a 1 no Morumbi deram a taça do Rio-São Paulo ao Gigante da Colina. Se o Rei brilhou pelo peixe naquela oportunidade, agora foi a vez do Reizinho da Colina. Juninho Pernambucano marcou nos dois jogos.

03/03/99 – Santos 1×2 Vasco
Local: Morumbi (São Paulo);
Público: 32 495;
Gols: Zé Maria 46 do 1º; Alessandro 30 segundos e Juninho 29 do 2°;
Santos: Zetti, Ânderson (Camanducaia) (Michel), Argel, Sandro e Gustavo; Claudiomiro, Marcos Bazílio, Jorginho e Caíco; Alessandro e Viola (Rodrigão).
Técnico: Emerson Leão
Vasco: 1.Carlos Germano, 2.Zé Maria,3. Odvan, 4.Mauro Galvão(C) e 6.Felipe; 5.Paulo Miranda, 11.Nasa, 8.Juninho (14.Henrique) e 10.Ramón; 7.Donizete (15.Vágner) e 9.Luizão (18.Zezinho).
Técnico: Antônio Lopes

Ficha técnica:

Vasco x Santos – oitavas de final da Copa do Brasil 2016
Local: São Januário, Rio de Janeiro;
Data e horário: quarta-feira (21 de setembro de 2016), às 21h45 (de Brasília);

Provável Vasco: Martín Silva, Yago Pikachu, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Diguinho, Douglas, Andrezinho e Nenê; Junior Dutra e Éderson;

Desfalques: Marcelo Mattos (lesão);

Pendurados: nenhum;

Provável Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia, Lucas Lima e Vitor Bueno; Copete e Rodrigão

Desfalques: Paulinho, Ricardo Oliveira e Jean Mota

Pendurados: Ricardo Oliveira, Thiago Maia, Vitor Bueno, Victor Ferraz e Yuri
Arbitragem: Jean Pierre Goncalves Lima – RS (ASP-FIFA), auxiliado por Leirson Peng Martins – RS (CBF-1) e Mauricio Coelho Silva Penna – RS (CBF-2);

Comments