Lisca chega ao Internacional para transformar loucura em motivação

Com a missão de fugir do rebaixamento, Lisca chega ao internacional (Foto:Ademar Filho/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Com a missão de fugir do rebaixamento, Lisca chega ao internacional (Foto:Ademar Filho/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Por Rafael Campos

O rebaixamento está presente nos piores pesadelos dos colorados. A temporada 2016 pode ficar marcada na história do Internacional como a mais sombria no clube, caso caia para a segunda divisão. Argel Fucks, Falcão e Celso Roth treinaram os gaúchos durante o Brasileirão, mas não obtiveram sucesso e acabaram demitidos. Agora é a vez de Lisca, o doido. Sua loucura pode livrar o time da humilhação?

Luiz Carlos Cirne Lima de Lorenzi é daqueles treinadores que não foram jogadores de futebol. Ao longo de seus quase dez anos de carreira profissional como técnico, chega ao seu primeiro clube grande.

Ligação com o Internacional

O comandante começou sua carreira justamente no Inter, ainda que nas categorias de base do clube. Outra coincidência é familiar. Lisca é biseto de Carlos Lorenzi ex- goleiro colorado em 1919 e neto de Jorge Lorenzi, que também atuou no gol do Internacional, na década de 40.

Lisca doido

Enlouquecido em campo, Lisca coleciona momentos irreverentes como treinador. Desde “dancinha” para provocar adversário, até subir no alambrado sem camisa, o comandante chamou a atenção pelo jeito autêntico e ganhou o apelido de “doido”.

Enérgico, leva seu jeito pra dentro de campo. Muitas vezes enfurecido na beirada do gramado, contagia os torcedores e jogadores – o que pode ser positivo ou não. Somento em 2015, Lisca conseguiu ser expulso em quatro partidas.

Veja a comemoração de Lisca, na vitória sobre o Sport, quando era técnico do Náutico.

Fuga do rebaixamento

Pergunte a qualquer torcedor do Ceará, o que pensa sobre Lisca. Ídolo. Em 2015, as chances do Vozão de rebaixamento era de 98%, quase decretado. Apesar da grande chance de cair para a Série C, a missão quase impossível aconteceu. O comandante livrou a equipe cearense e virou hit nas arquibancadas: “Saiu do hospício, tem que respeitar! Lisca doido é Ceará”.

Na comemoração da permanência não podia faltar loucura. Veja a vibração de Lisca evitando o rebaixamento do Ceará.

Comments