Juiz-forano tenta sorte na Europa

pablo flores

Por Rafael Campos

Gandula, torcedor organizado e com o sonho de se tornar jogador profissional. Aos 18 anos, Pablo Flores viajou para Portugal para fazer testes e está próximo de realizar seu “maior objetivo”. Após passagens na base de clubes na cidade, como Tupi e Tupynambás, o jovem volta para a cidade de Nines, distrito de Braga, em janeiro para concretizar sua ida.

A oportunidade de começar a carreira profissional a 7.891km da terra natal surgiu através de um conhecido, que mora em Portugal e trabalha com futebol. Depois do resultado positivo em uma peneira realizada em Tocantins, Minas Gerais, o jovem atacante confirmou sua ida para a Terrinha.

Com a chance dos testes na Europa, Pablo precisou arcar com toda a parte financeira para mudar de continente. Com o apoio da família o jovem conseguiu passar por esse obstáculo. “Foi tranqüilo. Meus pais estavam por dentro do assunto e sempre me apoiaram. Corremos atrás de dinheiros com minha avó e madrinha, que também estiveram do meu lado”, relembra o juiz-forano, sobre o período antes da viagem, entre março e julho.

Na Europa ficou encantado com as cidades portuguesas de Viseu, Aves e Porto. Ainda pôde conhecer Madrid, na Espanha, mas sua estadia no local acabou sendo forçada. “Perdi o vôo na Espanha e o passaporte no aeroporto, no mesmo dia. Com isso tive que me hospedar na cidade e com o pouco contato que tive, vi que se trata de um lugar incrível, muito bonito”, conta.

😎🤘

A post shared by Pablo Flores (@pabloflores_98) on

A primeira tentativa em Portugal foi fracassada. Se em Vila Nova de Famalicão as coisas não deram certo, em Nine o cenário foi outro. Aprovado, o brasileiro recebeu a proposta, do clube da cidade, de começar os treinamentos em julho, mas sua estadia só seria garantida a partir de outubro. Assim, o jogador e a equipe fizeram um acordo de iniciar os trabalhos em janeiro. Para ele o estilo de jogo português, com mais “pegada”, favoreceu seu futebol. “Eles não tem muita qualidade técnica, mas são muito fortes. Muito toque rápido, com movimentação e intensidade. Aqui no Brasil eu estava acostumado a ter mais tempo para pensar”, avaliou, citando a boa estrutura europeia.

O maior prazer da vida é fazer o que as pessoas dizem que você não é capaz. 🤘👊

A post shared by Pablo Flores (@pabloflores_98) on

“Tento levar as reprovações como motivação”

Essa não foi a primeira vez que Pablo Flores tentou começar a carreira como jogador profissional. O jovem passou por testes em clubes brasileiros como Flamengo, Botafogo e Santos, mas não obteve êxito. Também já fez uma peneira para poder atuar na Alemanha, mas o resultado também foi negativo. “É um sonho de infância. Você treina e fica chateado, mas não pode abaixar a cabeça. Busco melhorar na próxima tentativa”, ressaltou. Segundo ele, a aprovação do teste em Portugal foi uma das maiores alerias de sua vida, mas não pode parar por aí. “Tem que continuar melhorando sempre”, concluiu o atacante.

Gandula em campo

Desde 2012 repondo bolas no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, Pablo minimiza o lado financeiro da ocupação. “Me deixa em contato com os jogos. Não dá para explicar, é meu sonho de infância. Pude ver grandes nomes, como Robinho, Ronaldinho e imagino que eles já passaram as mesmas coisas que eu”, explica, levando como motivação o fato de ter a oportunidade de presenciar os bastidores do futebol.

Comments