Fla Flu suspenso! Em 2012 STJD fez o mesmo no Brasileirão

(Foto: Renan Olaz/Futura Press/Agência Estado)

(Foto: Renan Olaz/Futura Press/Agência Estado)

Por Rafael Campos

O Fluminense pediu e o Superior Tribunal de Justiça Desportiva aceitou. O STJD determinou a suspensão do resultado da partida em que o Flamengo venceu o tricolor por 2 a 1, até o julgamento. Há quatro anos, o caso foi o mesmo para Internacional e Palmeiras, após a anulação do gol de Barcos.

Com a suspensão da partida válida pelo Campeonato Brasileiro 2016, o Flamengo volta a ter 57 pontos na competição, seguindo na segunda colocação da competição, enquanto o Fluminense segue com 46.

A decisão foi solicitada na última segunda feira, pelo presidente do STJD, Ronaldo Piacente.
Diante disso, recebo a presente impugnação e determino que se de imediato conhecimento da instauração do processo ao Presidente da Confederação Brasileira de Futebol, para que não homologue o resultado da partida realizada em 13 de outubro de 2016 entre o Fluminense Football Club e o Clube de Regatas Flamengo pelo Campeonato Brasileiro – Série-A (2016), até decisão final da presente impugnação.

Entenda o caso de 2012

As situações são parecidas. Na oportunidade, o Internacional também venceu o Palmeiras, por 2 a 1, como o Flamengo contra o Fluminense. Em 2012, após cruzamento, o atacante Hernan Barcos empurrou a bola para as redes, com um detalhe: usando a mão. O lance foi muito questionado pelos jogadores colorados – assim como os flamenguistas – e gerou um grande imbróglio para a arbitragem da partida, que, confusa, decidiu anular o gol. Revoltados, os palmeirenses – da mesma forma que o tricolor carioca – apontaram a participação externa para auxiliar os árbitros.

O Palmeiras pediu a anulação da partida e o STJD suspendeu o resultado até a conclusão do processo. No julgamento, a tese da equipe paulista foi derrubada e os três pontos voltaram para o Internacional, com os nove auditores votando contra a decisão.

Veja o lance do gol de Barcos, anulado pela arbitragem

Comments