E se o “G6” valesse desde 2003? Internacional e clubes do RJ agradeceriam

O que mais se comenta no mundo da bola nos últimos dias é a mudança do formato da Libertadores. Além da competição ter se estendido até novembro, o que tem gerado mais debate é a inclusão de mais dois clubes brasileiros a partir de 2017, fazendo o “G4” do Campeonato Brasileiro virar “G6”. A favor ou não da decisão, o fato é que a partir desse ano seis times se classificam para a tão sonhada competição continental através do Brasileirão. Mas e se isso não fosse novidade?

O Guia da Bola resolveu conferir como seria se o regulamento valesse desde de 2003, ano que deu inicio à “era dos pontos corridos”. Teria clube gaúcho rindo à toa, catarinenses debutando e futebol do Rio de Janeiro em alta no cenário internacional.

Quem iria pela primeira vez a Libertadores?

Dois times de Santa Catarina já teriam tido a oportunidade de disputar a Liberta: o Figueirense, que ficou na sexta posição no Brasileirão de 2006, e o Avaí, que terminou na mesma colocação em 2009. Além da dupla, o Vitória teria estreado na competição pelo quinto lugar do Brasileirão 2013.

Quem seria mais beneficiado?

Se o G6 fosse realidade desde 2003 ninguém ficaria mais feliz do que o torcedor do Internacional. O Colorado teria mais três Libertadores na conta pelas campanhas de 2003 (5º), 2008 (6º) e 2015 (5º). Além dos gaúchos, outros oito times duas participações no currículo: Atlético-PR; Botafogo; Figueirense; Vasco; Goiás; Fluminense; Grêmio e Palmeiras.

Quem mais “bateria na trave”?

O Santos seria a equipe que por mais vezes sentiu o gostinho da classificação para a competição continental. Em três anos (2012, 2013 e 2015) o alvinegro praiano ficou na sétima posição do campeonato. Quem vem logo atrás é o Atlético-MG, que em 2007 e 2009 amargaria a sétima colocação e não chegaria à Libertadores.

Veja todos os brasileiros que se classificariam com o novo formato da Libertadores desde 2003:

arte: Felipe Frederico

arte: Felipe Frederico

 

Comments