• Home »
  • Destaque »
  • Com lesões de grandes atletas, o Tênis masculino tem desfalques para os Jogos do Rio

Com lesões de grandes atletas, o Tênis masculino tem desfalques para os Jogos do Rio

Do Top10 do Ranking da ATP, apenas cinco tenistas estarão na disputa do ouro

Por Felipe Frederico

O tênis masculino é uma das modalidades mais aguardadas das Olimpíadas. A primeira rodada começa neste sábado, 6, e logo no primeiro dia, o favorito e número um do mundo Novak Djokovic entra em quadra. Mesmo com muitos dos principais atletas do circuito confirmando presença, alguns importantes nomes ficaram de fora, devido principalmente as recorrentes lesões que acontecem graças ao calendário cheio e apertado da ATP. Após muitas desistências e confirmações, dos 10 melhores colocados no ranking, apenas a metade disputarão os Jogos Olímpicos do Rio.

Tenistas nos Jogos do Rio 2016

Tênis masculino sofreu com diversas baixas para os Jogos. (Arte: Felipe Frederico)

Principais atletas confirmado no tênis masculino

Novak Djokovic – O número um do mundo tem 29 anos e vem ao Rio buscando um dos poucos títulos importantes que não tem na carreira. Já disputou os Jogos em duas oportunidades. Em 2008, ficou com a medalha de bronze, e em 2012, com a quarta colocação. O sérvio é o principal nome do tênis masculino na atualidade e naturalmente o favorito ao ouro no Rio, e conta com o fato de um dos seus principais adversários – o suíço Roger Federer – não disputar a competição. Djoko enfrenta o argentino Juan Martín Del Potro na primeira rodada.

Andy Murray – Atual campeão olímpico e número dois do ranking, Murray é sempre favorito ao título, em qualquer torneio que dispute. O britânico disputará o simples e a dupla. Ele tem duas medalhas olímpicas, ambas conquistadas em 2012, em Londres, quando foi ouro no simples e prata nas duplas mistas. No Rio, Murray será o porta-bandeira da Grã Bretanha, e chega com moral para defender seu ouro. Na primeira rodada, Murray enfrenta o sérvio Viktor Troicki.

Rafael Nadal – Demorou, mas o “El Touro de Miúra” confirmou presença no Rio, para alívio dos fãs. Nadal não vive seu melhor momento na carreira, física e tecnicamente. O espanhol declarou: “Se não fossem as Olimpíadas, não jogaria no Rio.” Isso porque ainda sofre com dores no punho esquerdo. Nadal já conquistou o ouro nas olimpíadas de 2008, em Pequim, quando derrotou o chileno Fernando González na final. O primeiro confronto é contra o argentino Frederico Del Bonis.

Kei Nishikori – O japonês sempre corre por fora como um dos favoritos ao título. É um jogador que defende e ataca com a mesma eficiência, e leva uma boa vantagem física contra a maioria de seus adversários. Na primeira rodada, o número seis do ranking enfrenta o espanhol Albert Ramos.

Outros nomes – Thomaz Bellucci é sempre uma esperança brasileira, apesar de ser extremamente improvável que ele consiga uma medalha (enfrenta o alemão Dustin Brown na primeira rodada). Tsonga, Cilic, Ferrer, Monfils e Del Potro são outros nomes importantes na disputa por medalha.

Quem ficou de fora

Roger Federer – A principal decepção para os fãs de tênis. O suíço, considerado por muitos o maior tenista de todos os tempos está fora dos Jogos. O jogador está se recuperando de uma cirurgia no joelho, e fez um comunicado através de suas redes sociais anunciando que não atuará mais na temporada. Uma grande perda não só para a Suíça, mas para todos os fãs do esporte.

Stanislas Wawrinka – O número quatro do mundo também está fora das Olimpíadas. O jogador que sofria com uma lesão na coluna, viu as dores aumentar no Masters 100 de Toronto, e após uma ressonância magnética que apontou uma lesão no local, anunciou sua decisão. Mais um que desfalca a Suíça, que perde dois dos seus principais atletas.

Canadense número 7 do mundo também está de fora. Segundo o atual vencedor de Wimbledon, uma das motivações que o tirou dos Jogos é o receio de contrair o zika vírus. Nas suas redes sociais, Raonic anunciou: “Depois de muito deliberar com minha família e equipe, eu tomei esta decisão levando em conta inúmeras questões relacionadas à saúde, incluindo as incertezas referentes ao zika vírus.”

Outros que estão fora  – Ainda no top10, Tomaz Berdych e Dominic Thiem – número oito e dez do mundo respectivamente – também não disputarão medalha no Rio de Janeiro.

Veja os confrontos da primeira fase:

Novak Djokovic (Sérvia) x Juan Martin Del Potro (Argentina)

João Sousa (Portugal) x Robin Haase (Países Baixos)

Jordan Thompson (Austrália) x Kyle Edmund (Grã-Bretanha)

Taro Daniel (Japão) x Jack Sock (Estados Unidos)

Roberto Bautista (Espanha) x Andrey Kuznetsov (Rússia)

Lu Yen-shun (Taipé Chinesa) x Paolo Lorenzi (Itália)

Gilles Müller (Luxemburgo) x Jerzy Janowicz (Polônia)

Malek Jaziri (Tunísia) x Jo-Wilfried Tsonga (França)

Rafael Nadal (Espanha) x Frederico Del Bonis (Argentina)

Andreas Seppi (Itália) x Illya Marchenko (Ucrânia)

Brian Baker (Estados Unidos) x Yuichi Sugita (Japão)

Borna Coric (Croácia) x Gilles Simon (França)

Pablo Cuevas (Uruguai) x Nikoloz Basilashvili (Geórgia)

Dustin Brown (Alemanha) x Thomaz Bellucci (Brasil)

Damir Dzumhur (Bósnia e Hezergovina) x Dudi Sela (Israel)

Sam Groth (Austrália) x David Goffin (Bélgica)

Gael Monfils (França) x Vasek Pospisil (Canadá)

Rogério Dutra da Silva (Brasil) x Thomas Fabbiano (Itália)

Radu Albot (Moldova) x Teimuraz Gabashvili (Rússia)

Grigor Dimitrov (Bulgária) x Marin Cilic (Croácia)

Philipp Kohlschreiber (Alemanha) x Guido Pella (Argentina)

Denis Kudla (Estados Unidos) x Andrej Martin (Eslováquia)

Ricardas Berankis (Lituânia) x John Millman (Austrália)

Albert Ramos (Espanha) x Kei Nishikori (Japão)

David Ferrer (Espanha) x Denis Istomin (Uzbequistão)

Evgeny Donskoy (Rússia) x Jan Lennard Struff (Alemanha)

Gastão Elias (Portugal) x Thanasi Kokkinakis (Austrália)

Darian King (Barbados) x Steve Johnson (Estados Unidos)

Benoit Paire (França) x Lukas Rosol (República Tcheca)

Fabio Fognini (Itália) x Victor Estrella Burgos (República Dominicana)

Juan Mônaco (Argentina) x Mirza Basic (Bósnia e Herzegovina)

Viktor Troicki (Sérvia) x Andy Murray (Grã-Bretanha)

Comments